© 2019 por Gustavo Brandão | Sigma Brands

Quando você muda de país, dizem que você está fugindo de algo ou buscando por algo, no meu caso, é um pouco dos dois, fugi de quem eu acreditava que deveria ser para descobrir quem eu realmente sou e é aqui, se você tiver a paciência para me acompanhar, é que entenderá o porquê de tudo isso e como valeu a pena para mim e também pode valer o desafio para você.

Um pouco sobre mim: Sou Paulista, aquariana, amante do espaço, otaku desatualizada, estranhamente viciada em esquilos e facilmente manipulável através de comida. Amo ler e escrever, almejo ser escritora algum dia. Conheci Portugal em 2014 e desde o dia em que fui embora (eu cheguei a perder o avião e tive de ir um dia mais tarde), sempre quis voltar.

Acho que me apaixonei. 

Atualmente, estudo Línguas, Literaturas e Culturas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, lar literário de Fernando Pessoa. Deixei toda minha família no Brasil e vim para cá sozinha, contudo, não estou sozinha. Moro num apartamento com minha colega e amiga há seis anos, Lúcia (Elga Lúcia, que odeia como o L soa no meu sotaque brasileiro) e nosso gato cujo nome alterna a cada estação. Ela é portuguesa, extremamente paciente e cozinha para que eu não volte a explodir batatas no microondas. 

Então, quando eu cheguei aqui, eu tinha: Lúcia, Pedro e Pedro RODRIGUES (DO PORTO, SENDO ALTAMENTE ESPECÍFICA). Parece pouco, mas é muito e sempre vai ser muito.

Então depois fiz muitos amigos aqui, amigos que vieram de longe como a Maggy, que veio das ilhas e o Vlad, que veio da Rússia e amigos que sempre estiveram aqui, como a Carolina Carter que é uma mini gangster. Tenho meus padrinhos de praxe (duas madrinhas lindas e um padrinho divo), toda a família da Lúcia que me acolhem sem qualquer distinção e todo o apoio daqueles que me amam lá do outro lado do oceano: meus pais, meu irmão, primos, tios, amigos. 

Aprendi aqui que podemos encontrar nossa família em qualquer lugar do mundo.

”Acha que isso vai mesmo fazer sucesso, Fran?” Não faço ideia, eu não fiz o site para fazer sucesso, eu o criei porque em algum momento, eu me vi desesperada para sair do meu país e sem saber por onde começar, foi difícil achar o ponto de partida e agora que eu sei como isso realmente valeu todo o risco, por que não compartilhar isso com pessoas que também sejam como a Fran do passado? A Fran do presente está gostando e a Fran do futuro, bem, ela está enrascada, porque tudo que é problema para resolver, estou deixando pra ela.

Eu espero que a minha página te ajude a se encontrar e quem sabe, a gente possa abrasileirar ainda mais esse mundo, porque se tem uma coisa que eu não perdi ao conhecer o charme dos lisboetas foi o meu jeitinho brasileiro de ser!

Francine Maia

Caso queira falar comigo me consulte nas minhas redes sociais ou preencha aqui em baixo :

  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook
  • Instagram - White Circle